segunda-feira, janeiro 19, 2009

Mais chororô de músico roqueiro brasileiro contra os gringos


Tenho ouvido cada vez mais lamentos de músicos de rock brasleiros a respeito da preferência do público nacional por bandas estrangeiras, em vez de apoiar que batalha pelos botecos da vida divulgando material próprio.

O mais recente ressentido é Eduardo Ardanuy, guitarrista do Dr. Sin, um dos melhores que já vi ao vivo. O estupendo músico concedeu uam entrevista na edição de janeiro da revista Roadie Crew, onde fala do lançamento de seu CD solo, "Electric Nightmare".

No meio do texto, reclama de novo da falta de apoio aos músicos nacionais. "O público brasileiro continua 'paga-pau' de gringo, prefere gastar R$ 300 para ver o Judas Priest do que R$ 20 ou R$ 30 para assistir a uma boa banda nacional", diz o músico, cheio de rancor.

Essa é uma batalha perdida e esse tipo de lamento já encheu a paciência. Se o Dr. Sin dele - banda maravilhosa - não faz tantos shows quanto ele gostaria, não adianta culpar o público de shows internacionais. Por mais que o Dr. Sin seja bom - e, repito, é excelente - qual banda você veria se os shows fossem simultâneos? A citada Dr. Sin ou o AC/DC? Dr. Sin ou Black Sabbath? Dr. Sin ou Iron Maiden?

Parece que falta um pouco de bom senso a Edu Ardanuy. Não é simplesmmente uma questão de qualidade - as bandas de rock citadas e milhares de outras são melhores do que o Dr. Sin: é uma questão de oportunidade.

O AC/DC, por exemplo, já tocou mais de 30 vezes na cidade de Saint Louis, nos Estados Unidos, uma espécie de Belo Horizonte americana. E só vieram duas vezes ao Brasil, para somente dois shows.

A América do Sul não é rota assídua de shows internacionais. Então é natural que quando uma banda estrangeira aporte por aqui, mesmo que de porte médio, ganhe a atenção do público.

É o caso dos alemães do Grave Digger, metal tradicional dos melhores, mas que nunca passou de uma banda mediana em termos de público nos 27 aos de carreira. Entretanto, quando vem ao Brasil - e já veio cinco vezes - lota seus shows.

Por outro lado, é cada vez mais comum vermos shows do Dr. Sin no Brasil, assim como os do Angra, da banda de André Matos, do Almah de Edu Falaschi (Angra) e até mesmo do Krisiun. Todas essas bandas tocam com bastante regularidade e lotam seus shows. Por que elas tocam bastante e lotam seus shows e o Dr. Sin, que é tão bom quanto, não consegue?

Um comentário:

Mendes Jr disse...

Assino embaixo meu irmão!!!

Aliás, Edu Ardanuy que é ótimo guitarrista deveria se preocupar menos com "endorses" e buscar mais shows...

O trabalho solo mais recente dele (citado aqui) é excelente...

O cara já foi elogiado por gente como Steve Vai, será que não tá na hora de tentar arrumar show fora, como fez o Sepultura???

Postar um comentário